Notícias

SAÚDE - Hospital de olhos implanta tratamento inovador contra olho seco

07/08/2019

Dry Eye Spa trata com luz pulsada um problema que atinge mais de 40 milhões de brasileiros

 

O Eye Care Hospital de Olhos, em São Paulo, referência nacional em Oftalmologia, está inaugurando o Dry Eye Spa – uma ala de atendimento exclusivo para pacientes que sofrem de alterações nas glândulas meibomianas, responsáveis de produção de lágrimas. Esse tipo de disfunção é muito comum na prática oftalmológica, estando associada a uma série de alterações da superfície ocular, mas principalmente ao olho seco. De acordo com o médico Renato Neves, diretor-presidente do hospital, a Síndrome do Olho Seco – que atinge mais de 40 milhões de brasileiros – agora pode ser tratada com sucesso através de aplicações de luz intensa pulsada.

“No Dry Eye Spa, o paciente é submetido a uma sequência de pulsos uniformes, perfeitamente calibrados, sobre as glândulas inativas ou obstruídas. Esse feixe de luz fria age estimulando a produção de lágrimas, já que desobstrui as glândulas meibomianas de forma minimamente invasiva, segura e indolor. É importante explicar que essas glândulas se localizam nas pálpebras, produzindo proteínas e gorduras que se misturam ao filme lacrimal. É exatamente esse equilíbrio que impede a evaporação. Por outro lado, quando há qualquer disfunção, o filme lacrimal evapora com muito mais rapidez, causando enorme desconforto aos pacientes”, diz Neves.

Segundo o oftalmologista, esse tipo de obstrução normalmente é causado por fatores como idade, sexo, distúrbios hormonais e uso de determinados medicamentos. Quando não tratado, o problema da instabilidade do filme lacrimal pode resultar num aumento expressivo de bactérias na margem da pálpebra, causando inflamação e até mesmo lesão na superfície ocular – isso tudo além do principal, que é a própria síndrome do olho seco.

“Cerca de 40 milhões de brasileiros já sofreram ou sofrem disfunções lacrimais. Quando o olho não produz lágrimas suficientes ou quando elas evaporam rapidamente, essa condição pode ser bastante agressiva para a saúde ocular, podendo evoluir para ulceração da córnea ou até mesmo perda de visão. O problema vem aumentando consideravelmente com o hábito de as pessoas passarem horas e horas diante de uma tela de led, seja do computador, tablet, celular ou televisão”, diz o médico.

Neves explica que, quando falta lubrificação, os olhos ficam irritados e podem ficar avermelhados, provocar ‘sensação de areia na vista’, enfim... a pessoa sente um cansaço que pode, inclusive, se manifestar em dificuldade para enxergar e apresentar um excesso de secreção em apenas um olho ou até mesmo nos dois. “Geralmente, pacientes com síndrome do olho seco têm de fazer uso de lágrimas artificiais ou mesmo de pomadas, em casos mais graves – além de evitar morar em cidades com altos índices de poluição, passar muitas horas em ambientes secos, com ar-condicionado, ou ainda viajar de avião. Por isso é tão inovador oferecer um tratamento que devolve equilíbrio ao filme lacrimal”.   

De acordo com o médico, o tratamento no Dry Eye Spa se resume a três sessões, com espaçamento de 15 dias entre elas. “Cada sessão dura em média cinco minutos, em que são aplicados quatro flashes na pálpebra inferior. Já na primeira vez é possível sentir resultados, que são cumulativos. Dependendo da severidade do quadro do paciente, pode ser necessário fazer uma aplicação adicional dois meses depois, sendo que depois disso sugerimos apenas uma aplicação por ano como manutenção”.

Fonte: Prof. Dr. Renato Neves, médico oftalmologista, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos. www.eyecare.com.br // www.dryeyespa.com.br

 

 

 

 

Rua José Comparato, 85 ‐ Vila Mariana ‐ 01546-070 ‐ São Paulo ‐ SP

(55-11) 2894.9976

contato@presspagina.com.br