Notícias

SUSTENTABILIDADE - CEO de indústria química revela como se alinhar às expectativas do Pacto Global

05/03/2021

Para José Rosenberg, os dez princípios sugeridos pela ONU devem ser inseridos nas estratégias, na cultura e no dia a dia da fábrica

 

O Pacto Global é uma iniciativa da ONU (Organização das Nações Unidas) que visa encorajar as empresas a adotar práticas e políticas de responsabilidade social e sustentabilidade. O objetivo é que elas se comprometam com dez princípios relacionados a meio ambiente, direitos humanos, trabalho e combate à corrupção. Mais de 5.200 marcas ao redor do mundo já assinaram esse compromisso. Na opinião de José Rosenberg, diretor-geral da Katrium Indústrias Químicas – que assinou o compromisso na metade do ano passado –, “é fundamental que as empresas incorporem ações com resultados concretos no dia a dia, o que implica em mudança de estratégia, cultura e comportamento”.

Para Rosenberg, esse tipo de compromisso não deve se restringir apenas a uma carta de adesão, mas impõe que se apresente anualmente as contribuições de cada empresa rumo a uma sociedade mais justa apoiada na sustentabilidade. “Na Katrium, por exemplo, todas as iniciativas e seus resultados vêm sendo registrados. Quando formos apresentar à ONU os avanços conquistados neste último ano, nossa ideia é não só relatar o que foi feito, mas apresentar indicadores que poderão ser usados com facilidade em análises posteriores. Com objetividade e transparência, é mais fácil reunir dados que sirvam de base para outras iniciativas transformadoras”.

Os dez princípios do Pacto Global incluem:

1.Apoiar e respeitar a proteção dos direitos humanos reconhecidos internacionalmente;

2.Assegurar-se da não violação desses direitos;

3.Apoiar a liberdade de associação e o reconhecimento efetivo do direito à negociação coletiva;

4.Eliminar todas as formas de trabalho forçado ou compulsório;

5.Abolir efetivamente o trabalho infantil;

6.Eliminar a discriminação no emprego;

7.Agir de forma preventiva aos desafios ambientais;

8.Lançar iniciativas que promovam a responsabilidade ambiental;

9.Incentivar tecnologias ambientalmente amigáveis;

10.Combater a corrupção em todas as suas formas.

“Desde que a Katrium iniciou suas operações, estabelecemos uma regra geral de práticas e estruturamos um Manual de Conduta Ética que traz ainda mais do que os dez princípios elencados pela ONU. Ao transformar nossas convicções num documento acessível a todos os colaboradores e fornecedores, acreditamos contribuir, também, para que cada indivíduo possa se aperfeiçoar ou, no mínimo, representar a Katrium da forma o mais fiel possível. Essas diretrizes não guiam somente as decisões corporativas, mas o comportamento de todos os colaboradores sobre o que consideramos ético, como a integridade de nossas ações e a honestidade com que tratamos nossos clientes, colaboradores, fornecedores, imprensa, órgãos públicos, acionistas e comunidades do entorno da fábrica”, diz o executivo.

A Rede Brasil do Pacto Global é a terceira maior rede do mundo, tendo saltado de 500 adesões em 2015 para mais de 1.100 membros em 2020. Para grande parte das empresas brasileiras, trata-se da principal iniciativa de sustentabilidade corporativa do país.

 

Fontes:

https://www.pactoglobal.org.br

José Rosenberg, diretor-geral da Katrium Indústrias Químicas

Rua Lord Cockrane, 255 conj.2 ‐ Ipiranga ‐ 04213-000 ‐ São Paulo ‐ SP

Rua Afonso Celso, G1B ‐ Porta do Sol ‐ 18120-000 ‐ Mairinque ‐ SP

(55-11) 98547-0170

heloisa.paiva@presspagina.com.br